Sábado, 04 de Dezembro de 2021
°

-

Polícia Crime

19 anos de prisão para réu denunciado pelo MPSC por matar vítima com ajuda de adolescentes em Itapema

Crime foi praticado depois de uma discussão iniciada por causa do volume do rádio do automóvel

26/10/2021 às 09h18
Por: Redação
Compartilhe:
 19 anos de prisão para réu denunciado pelo MPSC por matar vítima com ajuda de adolescentes em Itapema

Crime foi praticado depois de uma discussão iniciada por causa do volume do rádio do automóvel onde todos estavam. Depois do homicídio, o réu e os adolescentes furtaram o carro da vítima

O Tribunal do Júri da Comarca de Itapema condenou Igor Soares dos Santos Henzel a 19 anos e oito meses de reclusão por homicídio triplamente qualificado, furto e corrupção de menor. O réu foi denunciado pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) por matar Murilo Schroer da Silva após uma discussão e furtar seu carro com ajuda de três adolescentes. 

A ação penal contra Igor pelo crime praticado madrugada do dia 9 de maio de 2020, próximo à central de captação de água da Companhia Águas de Itapema, na Estrada Geral do Sertão do Trombudo, foi ajuizada 2ª Promotoria de Justiça da Comarca. 

O crime ocorreu pouco depois das 3h, quando uma discussão se iniciou por causa do volume do rádio do carro de Murilo. Além do dono, estavam dentro do automóvel Igor e mais três adolescentes. Quando a discussão se intensificou, Igor e os adolescentes passaram a agredir Murilo, até que o automóvel parou em frente à estação de captação de água. 

Murilo, então, fugiu em direção a um matagal, mas foi perseguido pelos agressores, que o asfixiaram com um cabo de energia e passaram a agredi-lo com chutes, socos e pedradas, até que desfalecesse. Em seguida, o levaram até uma valeta próxima e voltaram para o carro.  

Porém, em vez de irem embora, voltaram até o local onde Murilo foi jogado e reiniciaram as agressões com pedradas, pauladas, pisadas, até matá-lo. Horas depois, voltaram ao local, jogaram um colchão sobre o corpo e atearam fogo. 

Conforme sustentou o Promotor de Justiça André Ghiggi Caetano da Silva na sessão de julgamento, os jurados, que formam o Conselho de Sentença, decidiram pela condenação de Igor pela prática de homicídio triplamente qualificado – pelo motivo fútil, pela impossibilidade de defesa da vítima e pela crueldade – por furto qualificado pelo concurso de pessoas e por corrupção de menor. 

A pena de 19 anos e oito meses de reclusão deverá ser cumprida em regime inicial fechado. A sentença é passível de recurso. Porém, preso preventivamente desde a época dos fatos, o réu não terá direito de apelar em liberdade. 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias