Quarta, 26 de Janeiro de 2022
°

-

Polícia Estupro vulnerável

Pastor Sergio Amaral Brito presidente da Assembleia de Deus e preso por estupro de fiéis

Polícia já identificou cinco vítimas

18/12/2021 às 11h17
Por: Redação
Compartilhe:
Pastor Sergio Amaral Brito presidente da Assembleia de Deus e preso por estupro de fiéis

Um pastor, psicanalista e sexólogo de 59 anos foi preso em Piabetá, município de Magé, na Baixada Fluminense do Rio de Janeiro, suspeito de estupro de vulnerável.

Sergio Amaral Brito é presidente da Assembleia de Deus Central em Jardim Primavera, Duque de Caxias. Ele foi denunciado à polícia por ao menos quatro mulheres por abusos que seriam cometidos durante consultas de psicanálise.

As investigações começaram no dia primeiro de dezembro, quando uma das vítimas decidiu procurar a polícia e relatar abusos sofridos. Frequentadora da Assembleia de Deus de Jardim Primavera, a mulher disse que foi convencida pelo pastor a fazer algumas sessões no consultório em que em que ele trabalha, a Nova Clinamp, localizado no Centro de Piabetá. Ela relatou que, após ser submetida a hipnose, foi abusada sexualmente.

Após relatar em casa a violência, a vítima, acompanhada dos pais, encontrou com o pastor na igreja. Ela conta que ele pediu desculpas, se disse arrependido e pediu que orassem por ele.

A história acabou se espalhando e, depois de saber do ocorrido, uma segunda integrante da Assembleia de Deus procurou a 66ª DP e denunciou abuso semelhante.

No caso dela, a sugestão de terapia teria sido feita para que ela assumisse a liderança do grupo de jovens da congregação. Durante as sessões, no entanto, ela alega ter sido abusada sexualmente diversas vezes, também sob hipnose — e chegou a dizer que conseguiu abrir os olhos, em uma das vezes, e percebeu o pastor, sem roupas sobre seu corpo. A mulher disse ter tomado coragem ao saber que outra vítima o denunciou.

De acordo com o delegado Ângelo Lopes, responsável pela investigação, a expectativa é que outras mulheres possam procurar a delegacia para denunciar o pastor:

"A primeira vítima foi abusada em setembro, já a segunda, começou a ser abusada de março a julho deste ano. Mais duas mulheres marcaram de ir à delegacia para prestar queixa contra o pastor e a gente acredita que, com essa divulgação, apareçam mais vítimas".

O pastor Sergio Brito foi preso dentro de casa, onde mora com a esposa, e não apresentou resistência. A polícia civil já cumpriu mandado de busca e apreensão no imóvel, onde foram recolhidos celulares e o computador, para perícia. Acompanhado de seu advogado, ele não quis dar nenhum tipo de declaração.

Hoje, ele será encaminhado para a unidade prisional em Benfica e será submetido à audiência de custódia. Antes da prisão, a Polícia achou indícios de que o investigado estaria planejando fugir para Brasília. Até o momento, a prisão é temporária.

Em contato com a igreja presidida pelo suspeito não obteve resposta. Já a clínica onde ele atendia emitiu nota oficial alegando que a administração da Climamp não tinha conhecimento dos fatos.

"Assim que ficou sabendo, através de redes sociais, não tardou em afastar o profissional para que as devidas apurações fossem feitas através dos órgãos competentes. O psicanalista Sérgio Brito foi afastado em definitivo do quadro da Clínica.

A Climamp repudia toda e qualquer forma de violência contra a mulher, se solidariza com as vítimas e se coloca à disposição das autoridades para colaborar em todas as fases da investigação", o representante legal do pastor, o advogado Alexandre Sant'anna Mainente, alegou que apenas se manifestará em "momento oportuno".

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias